Semana GORGS: as casas do GORGS

. .

Como já referido em textos anteriores, o GORGS foi fundado e instalado no Templo da Loja “Luz e Ordem”, citado nas fontes oficiais com o endereço de Jerônimo Coelho nº 4 (atualmente rua Jerônimo Coelho, 116). O prédio era um dos sete sobrados localizados na antiga rua do Poço (ou rua do Pântano), conforme aponta estatística predial oficial de 1892. Com a necessidade de um local mais adequado para as lides administrativas, houve a mudança para a antiga rua da Ladeira nº 56A (atualmente rua General Câmara, entre as ruas Riachuelo e General Andrade Neves), em prédio que, infelizmente, não existe mais.

O atual Palácio Maçônico foi construído entre as décadas de 1940 e 1960. Visando a ampliação do GORGS, a Loja “Luz e Ordem” (uma das fundadoras) cedeu o terreno onde ficava seu Templo e foram iniciadas as obras de construção do Edifício Fraternidade, com quatro andares destinados à Maçonaria e outros oito destinados a apartamentos residenciais (os Maçons tinham preferência na compra nos primeiros anos). Em 1960, o Grão-Mestre Antão Abade das Chagas efetivou a mudança e o GORGS voltou para o local onde nasceu e está instalado até os dias atuais.

O Palácio Maçônico conta atualmente com quatro Templos: “Renê Kozeritz Brasil”, “Antônio Antunes Ribas”, “Luiz Affonso de Azambuja” e o “Caldas Júnior”, considerado o maior Templo Maçônico do RS com capacidade aproximada de 400 pessoas, utilizado essencialmente para cerimônias públicas. O gabinete do Grão-Mestre e do Grão-Mestre Adjunto, além da administração e tesouraria funcionam neste prédio.

Além do Palácio Maçônico, na década de 1990 iniciou o projeto de construção do Centro Templário, hoje denominado C.T. “Grão-Mestre Milton Barbosa da Silva”. A sua utilização iniciou em 1999 e atualmente abriga a Assembleia Legislativa Maçônica, os tribunais de Justiça e Eleitoral Maçônicos, a Comunicação Social, oito Templos Maçônicos e dois restaurantes, em sete andares, na avenida Aureliano de Figueiredo Pinto, 945, no bairro Cidade Baixa, na capital.

Ministério da Educação Cultura e Comunicação Social e Ministério da Guarda dos Selos.

Produção: Irmão Rodrigo Reus e Renan da Silva Moraes, com colaboração do Irmão Francisco Munhoz Silveira.

As casas do GORGS

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *