Um Vinte de Setembro Triste

. .

*Irmão Léo Ribeiro

Sabe aquela história de disfarçar o choro? De dizer que tudo está bem quando nossa alma está em desalento? Pois este espírito negativo resolveu baixar no meu lombo neste 20 de setembro de 2020.

Como está tudo bem se ainda paira no ar esta enfermidade que nos assusta e a saudade dos milhares que morreram é latente?

Como está tudo bem se neste momento era para eu estar assistindo os desfiles farroupilhas, ou desfilando, ou abraçando chinchadamente nossa gente gaúcha pela passagem de nosso dia?

Eu entendo que as milhares de lives amenizam as distâncias. É o que se pode fazer no momento, mas não há nada como um aperto de mão, o escutar de um tocador floreando sua cordeona, os olhos ardendo de fumaça num rancho tapado de gente.

Também compreendo que o sentimento e as demonstrações de amor pela tradição vão além destas coisas comuns que citei pois está no sentimento de cada um, no respeito a história de nossa terra mas o que falo é de alegria, de brilho no olhar, de sorriso no rosto… Isto, desapareceu.

Desde o longínquo 20 de setembro de 1947 quando Paixão Côrtes e seus parceiros organizaram a primeira Ronda Crioula no Colégio Júlio de Castilhos eu creio não ter havido uma comemoração do Dia do Gaúcho tão melancólico e nem é por culpa de ninguém. Os responsáveis fizeram das tripas o coração para amenizar esta prostração. Sou da Comissão Estadual dos Festejos Farroupilhas e sei o que falo. É a situação em si. A insegurança existencial que vem respingar óleo escaldante em nossa data.

Mal comparando, é como nossas Sessões maçônicas. Quem não tem saudade de dar, pessoalmente, um Tríplice e Fraternal Abraço em seu Irmão?

Mas vamos ter fé, manter nosso sentimento de apego a tradição latente dentro de nós e aguardar que, no ano que vem, possamos esparramar os dois pés num baile, palestrar para as crianças nos colégios, enfim, sentir o mundo gaúcho pulsando em nossa volta.

Um 20 de setembro de muita paz a todos.

Irmão Léo Francisco Ribeiro de Souza

Diretor Cultural do Piquete

Fraternidade Gaúcha, do GORGS

Dionísio Costa na foto de João Avila.

 

2 Comments

Gilberto Carlos Zago

Queridos Irmãos, especialmente Irmão Leo.
compartilho do mesmo sentimento, sabendo que Tuas palavras atingem bem forte e bem fundo a Nossa Alma Farrapa. O GADU a de permitir que logo possamos voltar ao conviveu fraterno que nos une.

Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *