13ª Sessão Farroupilha em Novo Hamburgo

. .

A Loja “Força e União” n° 352, de Novo Hamburgo, homenageia, há 13 anos, a Epopeia Farroupilha, em Sessão Magna Cívico-Cultural campeira. Na noite de 14 de setembro, mais uma vez foi organizada a cerimônia, que nesta edição contou com a presença de quase 100 Maçons, com destaque para o Grão-Mestre Tadeu Pedro Drago, o Grão-Mestre Adjunto Osleno dos Santos Heberlê, o ministro da Administração Ivo Gilberto Fraga, o delegado da 2ª R.M. Ernani Oswaldo Waschburger, os conselheiros do GORGS Josué Moraes e Paulo Möbus, e Veneráveis-Mestres e Irmãos representantes de 13 Lojas maçônicas do GORGS e da GLMERGS de toda a região.

Tradicionalmente, a cerimônia é realizada na fazenda do Irmão Claus Kuhn, em meio ao campo, ao pé de uma centenária figueira. Desta vez, entretanto, a forte chuva que caiu no final da tarde e durante a noite impediu a reunião a céu aberto. Mas ela não diminuiu o ímpeto em homenagear os heróis do passado. Se não fora possível vislumbrar a luz da lua e contemplar a formação estelar como abóboda, a natureza se fez presente de outras formas, muito conhecidas de todos os Maçons. A água, um dos elementos purificadores em várias filosofias e ordens, caiu em abundância. Com a chuva, os raios e trovões rendiam até alguns breves sustos na peonada abancada no galpão da fazenda, devidamente preparado para a ocasião. No centro do Templo, o fogo, elemento que traz consigo a luz e a energia, fulgurava esplêndido, renascendo através do carvão herdado das cerimônias anteriores. Não bastasse tantos elementos simbólicos, o amargo do mate que circulava antes da sessão e a doce convivência fraterna determinavam sem dúvidas: estavam ali reunidos homens livres e de bons costumes!

As vozes da noite foram a harmonia perfeita para as lides campeiras. O cricrilar dos grilos, o relincho dos cavalos, o coaxar dos sapos, a água escorrendo pelo zinco e caindo em cascata no gramado, o crepitar da lenha que, ao deixar-se consumir pelo fogo cumpre a nobre missão de aquecer o ambiente fraterno. Cada som, somado à bela seleção musical do Mestre-de-Harmonia, formava uma sinfonia inigualável, que levava cada um dos Irmãos ali presentes a imaginar, ao fechar os olhos, que os farroupilhas algum dia também tiveram esse momento, sentindo a mesma energia, formando a mesma egrégora e trabalhando com o mesmo ardor.

A cerimônia, marcante por si só, de desenrolou com grande vibração, quando o Irmão Paulo César Rodrigues, da Loja “Cidade de Hamburgo” (GLMERGS) declamou poesia Payada das Primaveras, de Jayme Caetano Braum, ouvindo os efusivos aplausos dos presentes. Já o 1° vigilante Pablo Boll, contribui com peça de arquitetura que refazia os primeiros passos dos farrapos, suas motivações e um resumo dos eventos da noite de 19 para 20 de setembro de 1835. No ritual gauchesco, é sabido, a denominação dos cargos é diferenciada, respeitando o vocabulário pampeano. A “Força União” foi além. Tudo ali era galponeiro. Seja um fardo de feno servindo com mesa, seja uma gamela para suportar as chamas do fogo crioulo ou mesmo os adornos no altar do Venerável-Mestre, tudo representava a vida no campo, em essência.

Ao encerrar da sessão, o Grão-Mestre, ou Vaqueano-Patrão, falou que estar naquele galpão devia ser encarado como uma dádiva do Patrão Velho e uma lembrança para todos os Maçons: “Nossos Irmãos do passado muitas vezes não tiveram um lugar como esse, às vezes nem um teto havia para protegê-los em suas reuniões. Mesmo assim fizeram história. Realizaram grandes feitos e nos legaram este torrão. E nós, o que deixaremos para as gerações futuras?” Assim, convidou os Irmãos para refletirem sobre a atuação da Maçonaria de hoje, destacando as iniciativas do GORGS em vários aspectos e ressaltando a visão de futuro que vem empregando em sua gestão, ao lado do Grão-Mestre Adjunto Osleno Heberlê e do ministro Ivo Fraga. Antes de paratirem para o bolicho para “engraxar o bigode numa costela gorda”, os convidados reverenciaram a bandeira do Rio Grande e ouviram do proprietário da fazenda, Irmão Claus, que já está sendo planejada uma grande festividade campeira para 2018, que contará com ações para toda a família durante todo o final de semana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *