Confraternidade é a marca da Abertura do Ano em Imbé

. .

Os dicionários e enciclopédias definem a confraternidade como uma “relação amistosa que une membros da mesma sociedade” e “amizade como de irmãos”. Esta definição teórica pode ser constatada na prática em Imbé, no dia 7 de abril, na Abertura do Ano Maçônico 2017. Sentimentos de amizade, afeto, companheirismo, alegria do reencontro podiam ser notados a cada passo no saguão do Espaço VIP, local do evento. Muitos Irmãos de todo o estado veem nessa ocasião a oportunidade de rever aqueles que estão distantes geograficamente, e que, muitas vezes, restringem-se a contatos virtuais, através das tecnologias de comunicação. Mas, tecnologia a parte, ainda não há o que substitua o contato humano, o prazer de uma aperto de mão, de um abraço ou um ósculo fraterno.

Mais de 250 Maçons prestigiaram o evento em Imbé.

Imbé recebeu aproximadamente duzentos e cinquenta Maçons em sessão especial celebrando a confraternização maçônica rio-grandense. Esses Irmãos representaram Lojas do Grande Oriente do Rio Grande do Sul (GORGS), da Grande Loja Maçônica do estado do Rio Grande do Sul (GLMERGS) e do Grande Oriente do Brasil (GOB-RS). Os chefes de poderes do GORGS prestigiaram a cerimônia, acompanhados de suas comitivas. Conduziu os trabalhos o Venerável-Mestre Duval Matos Cecim, da Loja “General Osório” nº 254, de Tramandaí, coordenadora do evento, com apoio da Loja “Caldas Júnior-Imbé” nº 473, de Imbé.

Ao iniciar o evento, o Grão-Mestre Tadeu Pedro Drago saudou os presentes enfatizando a necessidade da busca da união fraterna entre as Potências Maçônicas. Veja vídeo sobre o evento.

Após os brindes tradicionais, que homenagearam a pátria, a Maçonaria Universal, as Potências Maçônicas do estado, os Grão-Mestres, os Irmãos visitantes e anfitriões e as conquistas recentes do Grande Oriente do Rio Grande do Sul, houve a manifestação do Presidente do Tribunal de Justiça Maçônica, Irmão José Francisco de Camargo Dornelles, em nome dos Poderes Constituídos do GORGS. “A fraternidade é a coluna maior da Maçonaria”, iniciou. Defendeu que a fraternidade é o princípio que torna iguais e unidos os Maçons, do Aprendiz a mais alta dignidade Maçônica das três Potências Maçônicas ali representadas. “Na Ordem Maçônica, temos que exercer nossos poderes com justiça, imparcialidade e isenção de ânimos, fiéis aos nossos juramentos. Os laços fraternos que nos unem não podem ser despedaçados por nenhuma rivalidade ou vaidade”, concluiu.

A pedido do Grão-Mestre, ao final do memorável jantar, foi realizada uma corrente de amplexos, em que cada Irmão abraçava o que estivesse ao seu lado, transbordando de emoção e finalizando com uma grande salva de palmas em agradecimento aos abnegados Irmãos que prepararam e serviram os saborosos pratos servidos na celebração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *