Em cerimônia histórica, Caxias do Sul ganha novo Templo Maçônico

. .

O vento diminuía a sensação térmica da já fria noite caxiense. Uma virada no tempo quente, um extemporâneo veranico na Serra gaúcha. Porém, quem se fez presente na Sagração do Templo da Loja “Fraternidade IV” nº 287 – e foram quase 400 pessoas! – sequer percebia a amenidade no clima. O calor humano da fraterna convivência tornava aquela construção imune a qualquer intempérie.

Na verdade a cerimônia era o clímax de um projeto que demandou muito esforço e trabalho conjunto, algo que, é bem sabido, é padrão do povo caxiense. A grandeza da obra se quase 1.000m² só podia ser medida com mais exatidão nos olhos de cada obreiro, que brilhavam de satisfação pela obra enfim concretizada. Emocionados, os integrante da Loja não esqueceram seu fundador e primeiro Venerável-Mestre, Romalde Jacob Sirena, que, mesmo com dificuldades, esteve presente e foi devidamente homenageado por seus Irmãos. Cerca de 35 Lojas Maçônicas estavam representadas, inclusive do estado de Santa Catarina e do Estado da Flórida, EUA, a “Eureka North Shore Lodge 269”, com a presença de seu ex-Venerável-Mestre Daniel Princkevicius, que presenteou os anfitriões com uma lembrança especial.

Após a realização da Sagração pelo Grão-Mestre Tadeu Pedro Drago, que esteve acompanhado pelo Grão-Mestre Adjunto Osleno dos Santos Heberlê e comitiva, vários Maçons se manifestaram a respeito do ato. Destaque para as palavras do Venerável-Mestre da Loja “Fraternidade III” nº 121, considerada a “Loja-Mãe”, e do representante da Loja “Fraternidade V” nº 455, considerada “Loja-filha” da “Fraternidade IV”. Também prestou homenagem o 2º Grande Vigilante da Grande Loja Maçônica do Estado do Rio Grande do Sul, Inácio Nicchetti de Campos.

O Venerável-Mestre da “FIV” (como é carinhosamente alcunhada a Loja), Claudio Carminatti, profundamente emocionado pela cerimônia, agradeceu a dedicação inabalável de todos os Obreiros e também dos Maçons de outras Lojas que muito colaboraram para o sucesso do empreendimento. Lembrou que o Templo deve se constituir na escola filosófica para todos os Maçons. E afirmou: “O Templo ainda está inacabado. Mas isso é um símbolo, a nos mostrar que o principal trabalho da Ordem Maçônica também está incompleto; qual seja, tornar feliz a humanidade. E é para isso que continuamos a nos reunir e atuar”. O Grão-Mestre Tadeu Drago se disse feliz por participar da inauguração de mais uma “Casa dos Maçons” em Caxias do Sul. Lembrou que a Maçonaria exige dos seus integrantes muita dedicação, sem esquecer de seus compromissos com a família e o trabalho. Respeito, lealdade, planejamento e transparência são premissas para o êxito da atividade Maçônica. E encerrou o agradável encontro exortando a todos os “homens livres e de bons costumes” a se espelharem no exemplo da Loja “Fraternidade IV”, que com muito empenho e organização “construiu essas Colunas que se erguem e tomam o rumo do céu!”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *